.. indústria & comércio ...

 

Eu sou Rogério Geraldo Rocha  ( CPF : 643.249.406-06 )  , sócio gerente do Atacado da Moda Mineira. Temos imenso prazer em recebê-lo(a) em nosso site e agradecemos seu interesse em saber mais sobre nossa empresa.

Somos uma empresa em pleno crescimento, estamos construindo uma marca forte e uma base de clientes diferenciados, produtos de qualidade com preços competitivos e eficiência no atendimento e despacho de mercadorias.

Atuando no ramo de PAPELARIA  há 27 anos, o  "atacado da moda mineira"  surgiu da necessidade de diversificar os negócios. A GARANTIA de entrega dos produtos está na transparência e seriedade de seus administradores.

Buscamos conquistar a confiança de clientes e fornecedores através de nossa reputação construída em 50 anos de trabalho do fundador destes empreendimentos, que sempre nos apoiou em nossos projetos.

Para manter nossos preços competitivos vendemos somente à vista ( pagamento antecipado ).

Contamos com uma equipe alinhada e comprometida. A tecnologia é nossa aliada para aproximar pessoas e simplificar processos ( minimizar custos ). Por isso sugerimos que fale conosco via e-mail. Nosso site é objetivo , preços e  fotos. Fácil entendimento.

Para comprar , clique em  "  Fale  Conosco "  ,  solicite informações. 

Estamos a sua disposição para qualquer esclarecimento. Desde já ...  Muito obrigado por estes minutos de leitura e atenção!


Bons Negócios !


   

   Resultado é melhor que o esperado ...

  

Após apresentarem queda no mês anterior, as vendas do varejo voltaram a ter retração de 0,1% em março na comparação livre de influências sazonais com fevereiro, quando o setor havia registrado redução de 0,5% (dado revisado).

O resultado, no entanto, foi superior ao esperado pelo mercado. Analistas ouvidos pela Reuters previam que o volume de vendas cairia 0,3% ante fevereiro na mediana das projeções de 33 economistas.

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, houve alta de 4,5% --também acima da expectativa de especialistas, que previam aumento de 3,8%.

Os dados foram divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira.

Nos primeiros três meses do ano, o comércio teve alta de 3,5% na comparação com o primeiro trimestre de 2012.

Já na comparação do primeiro trimestre deste ano com o período imediatamente anterior, as vendas do varejo tiveram queda de 0,2%. Trata-se da primeira retração nessa base de comparação desde o quarto trimestre de 2008, quando houve recuo de 0,5%.

Apesar de ter fraquejado nos meses recentes, o setor ainda acumula ganhos em períodos mais longos. As vendas subiram 6,8% nos 12 meses encerrados em março.

ATIVIDADES

Segundo o IBGE, 6 das 10 atividades pesquisadas obtiveram resultados positivos na comparação de março com fevereiro. Os melhores resultados ocorreram em tecidos, vestuários e calçados (3,9%), combustíveis e lubrificantes (2,4%), veículos e motos, partes e peças (1,9%) e móveis e eletrodomésticos (0,7%).

Já as quedas vieram de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-1,9%), hipermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumos (-2,1%), livros, jornais, revistas e papelaria (-2,9%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-5,2%).

Na comparação com março de 2012, duas das oito atividades do varejo tiveram queda no volume de vendas. O segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo teve um resultado positivo no período, de 4%, beneficiado pela comemoração da Páscoa --em 2012, o feriado tinha sido celebrado em abril.

Também tiveram influências positivas setores como outros artigos de uso pessoal e doméstico (14,9%) e tecidos, vestuários e calçados (5,9%).

As retrações ocorreram em equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-2,2%) e móveis e eletrodomésticos (-0,8%).\

Fonte : Folha de São Paulo .... 15/05/13 

    Entre os diversos setores do varejo restrito,     

    Artigos farmacêuticos, médicos,

   ortopédicos e de perfumaria (+14,9%), Livros, 

    jornais, revistas e papelaria (+12,7%) 

   e Tecidos, vestuário e calçados (+10,2%)

   foram   os destaques positivos de abril ( 2013 )   

   apresentaram as maiores taxas de     crescimento dentre todos os segmentos. 

Mais negócios sobrevivendo

 

Durante muitos anos, a taxa de sobrevivência das pequenas empresas brasileiras era assustadora.

                                                                                          Nem 30% dos negócios sobreviviam aos primeiros 2 anos.

Segundo o estudo do Sebrae sobre o tema, a média nacional de sobrevivência chegou a 75,6%.

O relatório de sobrevivência mediu empresas criadas em 2007 e que tinham informações atualizadas em 2010 na Receita Federal.

 A taxa foi melhor do que as de 2005 e 2006.

Assim, só duas em cada dez empresas criadas em 2007 não completaram dois anos.

Para Luiz Barretto, presidente do Sebrae, três fatores foram indispensáveis para isso.

 

                                                                                              “O aumento do mercado interno,

                                                                            a melhora nos níveis de escolaridade dos empreendedores 

                                                        e a reforma tributária que criou o Supersimples foram os principais responsáveis”, diz.

 

Apesar de a sobrevivência ser apenas um dos indicadores de sucesso para pequenas empresas, esta taxa indica que os empresários brasileiros têm superado o período mais crítico dos primeiros dois anos.

                                          “São decisivos para a sobrevivência porque ele está começando, não tem expertise,

                                           está formando clientela, tem que passar por fases boas e não tão boas”, afirma.

Uma boa gestão é um dos principais motivos de sucesso.

 “É preciso ter bom planejamento, não errar na capacidade financeira,ter controle de caixa, 

   não misturar as finanças e ser atento aos que os concorrentes estão fazendo”, ensina Barretto. 

SETOR VAREJO EM NÚMEROS Varejo em números

Análises Regionais - Brasil

Evolução do varejo brasileiro e regional

Variação percentual do varejo por estado

Varejo

Fonte: IBGE

  

 

 TV INDÚSTRIA:

 Aprenda como se fabrica roupas  em uma moderna  indústria

  Acesse o link  abaixo para  assistir :

     http://www.youtube.com/watch?v=FT8cdYTMAKA